Redes Sociais o impacto na Vida das Pessoas

Redes Sociais o impacto na Vida das Pessoas
Compartilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Segundo o Wikipedia, “uma rede social é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns. Uma das características fundamentais na definição das redes é a sua abertura e porosidade, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes.

Redes Sociais o impacto na Vida das Pessoas – Consulte-nos

As redes sociais podem operar em diferentes níveis, como, por exemplo, redes de relacionamentos (Facebook, Orkut, Myspace ou Twitter), redes profissionais (LinkedIn), redes comunitárias (redes sociais em bairros ou cidades), redes políticas, entre outras, e permitem analisar a forma como as organizações desenvolvem a sua atividade, como os indivíduos alcançam os seus objetivos, ou ainda medir o capital social – o valor que os indivíduos obtêm da rede social”.

 

A rede social Facebook, criada por Mark Zuckerberg em 2004, é, de longe, a que mais sucesso tem no mundo inteiro. Com mais de mil milhões de utilizadores e uma média de idades a rondar os 22 anos, esta rede atingiu um estatuto de obsessão social.

 

Num documento com estatísticas do Facebook divulgado online, refere-se que desde que o site foi criado registraram-se mais de 1,13 bilhões de gostos, 140,3 mil milhões de conexões de amizade, 17 mil milhões de publicações georeferenciadas e 219 mil milhões de fotografias carregadas. No campo artístico/cultural, 62,6 milhões de músicas foram reproduzidas 22 mil milhões de vezes, correspondendo a cerca de 210 mil anos de música. A criação de conteúdos é por isso fundamental para obter sucesso na sua Estratégia Digital. Mas como produzir excelentes conteúdos?

 

Reportando esta realidade a Portugal, refira-se que 93,7% dos utilizadores de internet dizem possuir um perfil no Facebook, segundo dados de um estudo do Observatório de Comunicação, de 2012. No ano anterior, os dados já confirmavam a decadência da rede social Hi5 (18,7%) e do Google+, um dos casos de insucesso em termos de networking social, onde apenas 4,8% dos utilizadores de redes sociais têm conta nesta rede do gigante norte-americano.

 

Fonte: http://www.estrategiadigital.pt