Erros de marketing de conteúdo que você pode estar cometendo

Erros de marketing de conteúdo que você pode estar cometendo
Compartilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Sua empresa tem investido tempo e esforço em Marketing de Conteúdo e mesmo assim não tem tido o retorno desejado? Você sente que se dedica e mesmo assim não consegue ver suas vendas aumentarem? Anda desacreditado que o Marketing de Conteúdo realmente funciona?

Se você disse sim para todas as perguntas, não se desespere. Seu problema tem solução e ela não está tão difícil de ser alcançada.

Na hora de produzir conteúdo, existem tantos detalhes que exigem atenção que qualquer coisa que passar despercebida pode fazer toda a diferença nos seus resultados.

Por isso, vamos falar hoje sobre 15 erros que podem estar impedindo sua empresa de alcançar o sucesso tão almejado. Pronto? Vamos lá!

Erros de marketing de conteúdo que você pode estar cometendo

1. Não conhecer suas personas

Já começo com o erro mais básico de todos e também o mais importante. Não saber para quem você está produzindo conteúdo é correr um risco desnecessário.

 

É tipo quando você chama uns amigos para fazer um jantar em casa e não tem ideia do gosto pessoal ou dos hábitos dessas pessoas. Será que elas comem carne? E se alguém tiver alergia a algum ingrediente? E os temperos, será que todos gostam de comida temperada?

 

Não conhecer suas personas é isso: preparar um jantar às cegas e não saber responder  nenhuma das perguntas anteriores. Ou pior, nem sequer pensar em fazer as perguntas.

 

Para conhecer suas personas, vale se colocar no lugar de quem você imagina ser o seu cliente ideal, aquele que realmente se interessa pelo seu produto ou serviço. Comece com um pequeno questionário:

Qual sua idade

Qual seu gênero

Com o que essa pessoa trabalha?

Ela é solteira ou tem mais pessoas na família?

Quem tem o poder de decisão de compra na família? Por quê?

Como essa pessoa decide por uma compra?

Onde ela costuma buscar informações sobre uma marca? Internet, revista, mídias sociais, indicação?

Quais são as principais dificuldades na vida dessa pessoa?

Qual o problema que ela está tentando resolver e não consegue?

Que expectativas ela possui na hora de utilizar um produto?

É hora de exercitar seu poder de empatia e pensar como seu potencial cliente responderia essas perguntas.

 

É importante também você validar as respostas com pessoas que possuem o perfil da sua persona. Selecione 5 pessoas, faça essas perguntas para elas e apenas escute com atenção o que elas têm a dizer. Você vai tirar excelentes lições desse momento.

 

Feito isso, documente tudo. Escreva em um documento, planilha, pedaço de papel, seja o que for, tudo que você escutou durante as entrevistas. Apenas 40% das empresas documentam suas personas e estratégias, então esteja dentro dessa porcentagem, ok?

 

Depois, compartilhe esse documento com outros membros da sua equipe para que todos entendam junto com você quem é sua persona.

 

Agora imagine você preparando aquele jantar para seus amigos sabendo de tudo que precisa saber antes de começar. Você provavelmente vai gastar menos, vai se sentir mais seguro, vai escolher os ingredientes certos e acertar nas opções. O resultado só pode ser: um jantar de sucesso!

 

2. Não ter um objetivo

Você vai preparar um jantar para seus amigos por quê?

 

Faz muito tempo que não vejo meus amigos

Quero reunir todo mundo novamente

Adoro quando relembramos nossas histórias

Quero me divertir

Quero colocar em prática minhas habilidades na cozinha

Quero que todos comam bem

Não adianta você conhecer suas personas e produzir conteúdo para elas aleatoriamente. Você precisa estabelecer porque está fazendo isso, aonde quer chegar e quais resultados pretende atingir.

Vou dar alguns exemplos que podem ajudar você a definir os seus objetivos:

Aumentar a visibilidade da sua marca

Aumentar a audiência do seu site

Reforçar seu relacionamento com seus clientes

Aumentar suas vendas de produtos ou serviços

Atrair novos clientes

Sempre tente priorizar. Liste todos os objetivos que você pensar e depois priorize, começando pelo mais importante, ou o mais atingível a curto prazo.

 

Esse é outro ponto que merece atenção, porque o objetivo mais importante pode ser o mais difícil de atingir. Nesse caso, dou 2 dicas:

 

Fatie o objetivo principal em mini objetivos, assim você cria uma espécie de passo a passo e concretiza aos poucos cada mini objetivo, até atingir o principal.

Comece pelo objetivo mais fácil ou mais atingível: olhe para os recursos que você tem hoje (equipe, orçamento, produto, estrutura) e pense como você pode utilizá-los para atingir esse objetivo. Trabalhe com o que você tem para depois conquistar o que você quer!

 

3. Não ter um planejamento

Se você preparar um jantar sem entender de quantidades, medidas, porções e não souber seguir uma receita, talvez sobre muita comida, ou falte. Talvez os pratos fiquem deliciosos porque você seguiu seu feeling, mas talvez eles fiquem com uma textura estranha, temperados demais ou de menos.

 

O sucesso do seu marketing de conteúdo é garantido quando você planeja suas ações, compreende em quais canais você deve publicar seus materiais e como você pode investir em cada canal para atingir seus objetivos.

 

Um planejamento não precisa ser algo super bem produzido, solene, com 200 páginas e com termos que ninguém entende. Um planejamento precisa ser fácil de entender e de preferência criado em colaboração com todos os envolvidos, inclusive seus clientes.

 

Uma cabeça pensa melhor que duas, e a cabeça do seu cliente pensa nas necessidades e dores que ele precisa solucionar, o que vai enriquecer seu planejamento e torná-lo assertivo para suas personas.

 

Para documentar tudo isso, eu sugiro de deixar o processo totalmente visual. Desenhe num quadro branco todas as etapas do plano em uma linha do tempo e coloque detalhes das ações, como:

 

Datas de produção

Datas de entrega

Quem será o responsável por cada atividade

Quais canais deverá ser publicado e que horas

Quais métricas vão acompanhar

Se tiver investimento de mídia: quanto, onde e como será aplicado

Sempre retome o planejamento com seus colaboradores, mas lembre que muita coisa pode acontecer no meio do caminho e mudar o plano. Por isso, não se apegue a ele e deixe atualizado com as novas ações e estratégias.

4. Oferecer um conteúdo superficial ou pouco relevante

Tem materiais que são extremamente condensados e passam sua mensagem, assim como tem aqueles que são muito longos e não são nada objetivos, você sai meio que com a sensação que não aprendeu nada sobre aquele assunto.

 

Você como produtor de conteúdo tem a missão de oferecer o melhor conteúdo possível sobre um determinado tema e torná-lo o mais relevante do mundo para o usuário. Que responsabilidade, né?

 

Por isso, estude muito, pesquise outras fontes, veja o que a concorrência está fazendo, tire o melhor de tudo isso e aplique no seu material, baseado nas suas próprias experiências e perspectivas.

 

E sempre lembre de produzir conteúdo sobre o que as pessoas querem consumir e não sobre o que você quer que elas consumam.

 

Pense:

Quais os temas mais relevantes do meu segmento?

As pessoas estão discutindo sobre isso nas mídias sociais?

O que meu público procura no Google?

Quais são as principais tendências?

 

Responder essas perguntas já dá uma boa base para produzir seus conteúdos. Não se esqueça de atender as necessidades da sua persona!

 

5. Criar apenas um formato de conteúdo

Hoje temos uma gama tão grande de formatos que podem ser utilizados, então por que se ater a apenas um tipo?

 

Comece pelos formatos mais densos para você produzir, como textos por exemplo. A partir deles, você pode dividi-los e criar novos formatos, como posts, infográficos, elaborar algo com mais informação como um e-book, produzir vários vídeos com dicas rápidas, etc.

 

E de novo, fique de olho nas tendências e nas personas. Como será que elas consomem conteúdo? Será que elas preferem ler ou assistir a um vídeo?

6. Usar a mesma estratégia para todos os canais

Cada canal de comunicação tem a sua particularidade.

As mídias sociais por exemplo, são canais que atingem a massa, um grande volume de pessoas, mas se você criar anúncios, terá um público totalmente segmentado de acordo com seus interesses principais e fará um marketing muito mais eficiente.

 

No e-mail marketing já é diferente. Você precisou pedir permissão para enviar conteúdo para cada usuário e aqui, o ideal é falar de assuntos específicos e aprofundar conforme seu lead avança no seu funil de conversão.

 

Para cada canal, uma estratégia. Dentro do seu planejamento, faça mini planejamentos para os canais que você irá se comunicar, pensando na linguagem utilizada, nos formatos que funcionam melhor, no fluxo de comunicação, nas possíveis ações dos usuários e no caminho que você quer que eles sigam dentro do funil.

 

Depois, escolha os principais KPIs (indicadores de performance) para cada canal, assim você saberá o que precisa mensurar nas ações.

 

7. Não ter frequência de publicações

Se criar conteúdo é super importante para a sua marca, manter uma frequência de publicações é mais importante ainda. Você precisa atualizar seus canais de comunicação para construir autoridade e relevância dentro do seu segmento.

 

Cada canal tem uma dinâmica própria e que pode influenciar na frequência. Por exemplo, a dinâmica do Twitter é diferente de um blog. No Twitter você precisa publicar com muito mais frequência, porque o ritmo de informações nessa rede é frenético. Já num blog, vai depender do volume de acessos que você tiver.

 

E como saber que frequência é ideal em cada canal? É preciso acompanhar as informações e dados de cada um. No Facebook por exemplo, é possível ter acesso na aba Informações da sua página.

 

Por aqui, você consegue identificar quais dias e horários são melhores para você publicar. Vá em Publicações e analise seu gráfico.

Fonte: https://motdigital.com

 

Saiba mais.