Como ser eficiente nos três principais pilares do marketing digital: público, conteúdo e dados

Como ser eficiente nos três principais pilares do marketing digital: público, conteúdo e dados
Compartilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Como ser eficiente nos três principais pilares do marketing digital: público, conteúdo e dados

No cenário brasileiro, apenas 18% do investimento em publicidade das empresas brasileiras foram direcionados para mídias digitais no ano passado

Como ser eficiente nos três principais pilares do marketing digital: público, conteúdo e dados. Sua empresa investe em marketing digital? Sei que esse questionamento já está sendo debatido há um bom tempo, mas precisamos conversar. É que tenho escutado com frequência essas respostas: tenho uma empresa pequena e não compensa investir; não invisto porque não sei com quem falar (público-alvo); não faço investimento porque não sei medir o retorno. Se identificou com as respostas? Espero que não, mas se for o seu caso, preciso dizer que está perdendo grandes oportunidades.

Você sabia que a Black Friday 2017 deve ajudar pequenos lojistas a fechar o mês de novembro com faturamento de R$ 60 milhões? Número 38% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, de acordo com dados levantados pela Loja Integrada. Pode ter certeza que essas empresas que estão faturando alto trabalham os três fatores que citei no título do artigo – Público, Conteúdo e Dados, pois são fundamentais para o sucesso da empresa.

Para entender o contexto do mercado de uma forma mais ampla, o investimento em publicidade no meio digital brasileiro cresceu 26% em 2016, na comparação com o ano anterior, totalizando R$ 11,8 bilhões. Podemos enxergar esses dados do IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau) de duas formas – está tudo certo porque as empresas estão investindo mais no digital, ou pelo lado “meio vazio do copo” – temos um longo caminho para percorrer quando falamos de marketing digital.

No cenário brasileiro, de acordo com pesquisa feita pela empresa Bain & Company, apenas 18% do investimento em publicidade das empresas brasileiras foram direcionados para mídias digitais no ano passado. Em 2015 esse investimento chegou a R$ 8 bilhões, sendo a expectativa chegar a R$ 16 bilhões até 2020. Nos Estados Unidos e Reino Unido o investimento corresponde a 33% e 51% respectivamente. Então temos Brasil com 18% de investimento em mídias digitais e Reino Unido 51%.

A verdade é que temos muito o que evoluir em todos os sentidos! Para auxiliar nesses pilares básicos – público, conteúdo e dados, confira algumas dicas:

1. Público

Quando falamos, falamos com alguém certo? Então para que a sua mensagem seja interessante para o outro lado, é fundamental saber o que esse outro lado quer escutar. Ou seja, qual a necessidade dele? Por que ele iria te dedicar um pouco da atenção dele? Muitos dos problemas de comunicação e negócios das empresas seriam resolvidos se as empresas identificassem com quem querem falar e qual a dor desse público.

Dica:

– Busque as informações certas: para conhecer seu público-alvo é necessário fazer perguntas para compreender melhor o seu comportamento. Ao entrevistar seus clientes, por exemplo, você reduz as chances de errar na definição de seu público-alvo. Afinal, eles são as pessoas que compram o seu produto ou serviço. Confira algumas perguntas que você pode fazer para conhecer o seu público e identificar suas dores:

– Qual problema determinada solução te ajudou a resolver?

– O fato de não ter determinada solução impacta como no seu trabalho, sua vida, etc.?

– Você buscou informação antes de adquirir essa solução? Onde?

– Quais as expectativas sobre o meu produto e serviço?

Depois de entender com quem você está falando, é hora de ajustar a sua mensagem. A sua estratégia conta uma história diferente, de um ponto de vista particular? Ou você está fazendo marketing como todo mundo? O tom de voz da sua mensagem é adequado para o seu público?

2. Conteúdo

Um ponto forte das campanhas de marketing é o conteúdo. E lembre-se: conteúdo não é apenas um texto, ele pode ser um vídeo, uma frase numa imagem, etc. Basicamente, tudo o que o seu consumidor está em contato, é conteúdo. É através do conteúdo que você passa a sua mensagem para o seu público. E não precisamos de mais conteúdo; precisamos de mais conteúdo relevante.

Como fazer conteúdo relevante?

Se coloque no lugar de quem irá ouvir. Em sua palestra na RD Summit 2017, evento realizado recentemente em Florianópolis, a Ann Handley deu algumas dicas. Um ótimo marketing de conteúdo é a multiplicação entre utilidade, empatia e inspiração. E, como toda multiplicação, se um dos fatores é zero, o resultado é zero.

Foque em histórias relevantes e inspiradoras, faça com que seu público tenha empatia com o seu conteúdo. Seja tão útil para o seu público ao ponto de que ele sinta falta se você para de escrever.

Frequência também é importante

Tenha um cronograma/planejamento de conteúdo (não apenas de posts nas redes sociais): o melhor é ter disciplina, por isso, esteja preparado com posts, palestras, notícias, podcasts, etc. Se algum imprevisto surgir, sua marca terá conteúdo para alimentar os canais de informação. Uma dica é gerar conteúdo em blocos, por isso, faça uma triagem de assuntos e estruture a publicação através de agendamento.

Aprenda a ouvir seu público

Para escrever um bom conteúdo, ouça o que seus dados têm a dizer: eles contam a história do que o seu público que ouvir, como eles querem ouvir, e quando eles querem ouvir.

3. Dados

Hoje em dia temos uma quantidade impressionante de dados à disposição. Mas nem por isso usamos esses dados de maneira eficiente para o negócio. Na verdade, se a sua empresa coleta os dados de maneira compreensiva e organizada, você já está bem mais avançado que muitas outras empresas.

O diferencial para a maioria das empresas está em fazer marketing baseado em comportamento, e não em segmentação. Ao identificar o comportamento do seu consumidor, você consegue ser bem mais assertivo tanto no canal de comunicação quanto na mensagem.

Quando bem utilizados, os dados podem ser uma ferramenta valiosa para a criação de estratégias e avaliação de resultados das campanhas. Hoje podemos saber quanto foi o retorno sobre o investimento e assim qualificar ainda mais o trabalho da comunicação e marketing.

As plataformas como Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e Google já nos oferecem diversos dados. Por meio deles, podemos compreender o nosso público, saber o que procuram e o que devemos oferecer. Além disso, é fundamental identificar e parametrizar tudo o que você precisa medir. Assim, você atinge de forma mais assertiva fazendo segmentações baseadas em dados e comportamento. Mas lembre-se: você precisa preparar o seu ambiente de coleta de informações antes de lançar uma campanha para poder medir o resultado.

Dica

Monitore os resultados de forma periódica: se a Inteligência Artificial como conhecemos hoje já mudou o mercado, em pouco tempo, as mudanças serão infinitamente maiores. As novas tecnologias como Machine Learning nos darão muito mais visibilidade do que fazer e como fazer. Conseguiremos aprender com o comportamento do usuário e desenhar campanhas adaptáveis, segmentadas e personalizadas, aumentando inúmeras vezes a eficiência do projeto.

*Camila Garcia, Gerente de Inbound Marketing e Planejamento de Negócios na Zoly, possui mais de oito anos de experiência em marketing e comunicação,  estratégia e inteligência para empresas internacionais e governo.

 

Fonte: http://www.administradores.com.br